quarta-feira, 19 de março de 2008

Cecília Meireles


A década de 1930 (2º momento do Modernismo brasileiro) valorizou bastante a Literatura Infantil. Quase todos os autores deste período trabalharam a Literatura Infantil, seja em prosa ou em poesia. Cecília Meireles, por sua sensibilidade à subjetividade da criança, foi uma das que mais teve destaque:



Colar de Carolina


Com seu colar de coral,

Carolina

corre por entre as colunas da colina.


O calor de Carolina

colore o colo de cal,

torna corada a menina.


E o sol, vendo aquela cor

do colar de Carolina,

põe coroas de coral


nas colunas da colina.



De fato, percebemos que a tia Cecília Meireles era muito boa no que se propunha a fazer nos seus poemas infantis. A personagem Carolina agrada e muito o imaginário da criança pelo seu poder de interagir com o mundo. Seu calor, sua energia, sua vontade de brincar unem-se ao sol, às cores de coral do seu colar e fazem com que a criança mergulhe no universo sonoro da poesia, através do ritmo sincronizado das estrofes provocado pela presença de aliterações. (O que é isso?) Bem, aliteração, para a galerinha que não sabe, trata-se de uma figura de linguagem caracterizada pela repetição de um som. No caso do poema Carolina, que acabamos de ler, a repetição sonora que ocorre é a repetição da letra "C". Ex: "Com seu colar de coral, Carolina corre por entre as colunas da colina".


Pois é, a tia Cecília era mesmo maravilhosa e escreveu muita coisa legal para as crianças. Em breve, poderemos conhecer e analisar mais poesias.


beijinhoooooooooooo...


Era da Lenda.

Um comentário:

Marília Fulô disse...

o blog está, a cada dia, mais lindo! :-)